MENU

| BR

Campus

Programação

Marketing

UX

Dados

Negócios

Paises


Crie apps do zero

Aprenda na prática linguagens de programação como Java, SQL e Kotlin

Portfólio

Saia do curso com seu aplicativo pronto como portfólio

Mentoria de carreira

Alunos podem fazer o Curso de Gestão de Carreira (gratuito) e participam de feiras de recrutamento exclusivos (Recruiting Day)


Imagen de Desenvolvimento Mobile Android

¿Por qué Desenvolvimento Mobile Android?

Você vai aprender:
  1. 01. Introdução ao Mobile
  2. 02. Programação Orientada a Objetos
  3. 03. Java
  4. 04. Design Patterns
  5. 05. Android
  6. 06. SQL & SQLite
E também:
  1. 01. Material Design
  2. 02. RXJava
  3. 03. Consumo de API´s
  4. 04. Google Maps
  5. 05. Redes Sociais
  6. 06. Introdução ao Kotlin
Habilidades para o mercado de trabalho:
  1. 01. Metodologias Ágeis / SCRUM
  2. 02. Trabalho em equipe
  3. 03. Construção de portfólio
  4. 04. Desenvolvimento de carreira
  5. 05. Network
  6. 06. Github

E na minha carreira?

Qual o futuro?

Há muito espaço para quem quer trabalhar em startups ou grandes empresas de tecnologia porque 85% dos celulares no mundo são Android. Então investe-se bastante em desenvolvimento de apps Android

Salário

O salário inicial para desenvolvedores mobile android é de R$ 3,796, em média. A demanda por esses profissionais cresceu 85% de 2018 para 2019 (fonte: Revelo, julho/2019)

Aprenda com professores especialistas do mercado

Nosso time de especialistas

Ver Professores

Quem já fez

Eventos

15 Out

Nossos Cursos | Tire suas dúvidas

Inscreva-se

11 Nov

Workshop | Quer Aprender A Programar?

ESGOTADO
Ver Todos Os Eventos

Próximos cursos, horários e sedes

  • Noite

Noite

19:00 às 22:30

Segunda, Quarta, Sexta

4 Novembro - 8 Maio

19:00 a 22:30 hs
Vila Olímpia
Últimas Vagas

Terça, Quinta, Sábado

11 Fevereiro - 16 Julho

Terça, Quinta e Sábado

19:00 às 22:30
Vila Olímpia

Por que estudar na Digital House?

Nossa missão é formar a próxima geração de profissionais digitais. Temos um campus de quatro andares na Vila Olímpia (Avenida Doutor Cardoso de Melo, 90 - São Paulo) com salas equipadas com um computador por aluno. Nossa metodologia própria de ensino intensivo é focada na prática, com um currículo feito sob medida para o que o mercado exige. Participe também de eventos para networking e recrutamento. Adquira habilidades digitais! Venha para a Digital House!

Blog
Digital House

Web Developer: o que faz, quanto ganha e como se tornar um img
carreira
tech

Web Developer: o que faz, quanto ganha e como se tornar um

São tantas novas profissões nesse mundo novo e em constante mudança. Tudo está sendo reinventado, inclusive o mercado de trabalho. Por conta disso, diariamente, é quase rotineiro encontrar oportunidades de carreira que ainda não sabemos muito bem o que elas significam.Para quem está de olho na atuação com TI, isso fica ainda mais evidente. São muitas nomenclaturas de profissões e, para um iniciante na área, pode ser difícil definir em qual área da tecnologia atuar. Uma delas é a do desenvolvedor web, ou web developer. Onde esse profissional atua e quais habilidades são necessárias? Vamos descobrir a partir de agora!O que faz um Web Developer?Basicamente, esse é um tipo de programador especializado em desenvolvimento de sistemas para a internet, sendo responsável por manter o seu site ou aplicativo funcionando. Para isso, ele faz o planejamento da estrutura, constrói e depois mantém a manutenção dos códigos, para que tudo rode perfeitamente, dentro do esperado.Não é um trabalho muito fácil, pois envolve entendimento das mais diferentes linguagens de programação, estando sempre atento aos aspectos de back-end como servidores e segurança de dados, assim como no front-end, ou seja, com a experiência do usuário. Há quem prefira atuar com um ou outro aspecto, mas também há o Desenvolvedor Fullstack, ou seja, aquele que atua de maneira híbrida, tanto no campo do front-end, com HTML, CSS e Javascript, assim como com as linguagens do back-end.De toda forma, é uma profissão desafiante, com muito potencial de aprendizado e crescimento profissional, além de impactar positivamente o ambiente em que vivemos, por trazer soluções tecnológicas que podem ser benéficas para a sociedade!Web Designer x Web DeveloperEssa talvez seja uma das principais dúvidas de quem tem interesse em atuar com desenvolvimento: qual a diferença entre o web designer e o web developer?Enquanto o Desenvolvedor Designer atua com a criação do conceito do site, decidindo questões como cores, tipografia, tipos de conteúdos e páginas, o desenvolvedor web usa os conceitos apontados pelo designer para construir os códigos e transformar tudo no site propriamente dito.Claro que, nos dias de hoje, é possível encontrar profissionais que contemplam as duas expertises, mas em teoria, o web designer não atua com a construção dos códigos, enquanto o web developer não precisa, necessariamente, ter habilidades de design, ou entender de teoria das cores e identidade visual, por exemplo.Quanto ganha um Web Developer?Não basta entender qual a atividade dessa carreira, também é preciso ficar de olho nos ganhos, certo? O salário vai depender da atuação profissional, já que os desenvolvedores podem ser encontrados trabalhando em pequenas, médias e até grandes corporações, além dos que decidem atuar de maneira autônoma, ou seja, como freelancers.Pesquisando pelos sites das principais empresas especializadas em carreira do país, é possível verificar que, em média, um desenvolvedor web em São Paulo ganha em torno de R$ 3.870 por mês, mas também há salários que podem chegar a R$ 9 mil mensais. Para os freelancers, vale lembrar que quanto mais experiência na área, maior a possibilidade de ir definindo seu próprio preço!Quero ser Web Developer: por onde começar?Não é nem preciso falar que uma profissão baseada em códigos e linguagens complexas exige muito estudo e dedicação, certo? Mas se você gostou do que leu e está buscando iniciar sua carreira como desenvolvedor web, saiba que esta é uma excelente escolha!Tudo começa, claro, com a busca por um curso para aprendizado e aperfeiçoamento das habilidades. A Digital House oferece três cursos na área: Desenvolvimento Full-Stack, Desenvolvimento Mobile Android e Desenvolvimento Mobile IOS. E se você não tem experiência nenhuma nessas áreas, tudo bem: a escola ajuda na sua formação, para que você aprenda a programar do zero e construa uma carreira de sucesso!Depois de aprender as bases, você provavelmente entenderá quais linguagens mais adequadas para o aperfeiçoamento, quais você teve mais facilidade, essas coisas. Sem nunca esquecer que, como é uma carreira digital, tudo muda muito rapidamente, então o aprendizado constante é fundamental para que seu conhecimento não fique obsoleto.Leia também: Tudo o que você precisa saber para ser um programador.Gostou das dicas? Prepare-se para começar sua carreira no mundo dos códigos e desenvolvimento de páginas e boa sorte na sua trajetória profissional!

Linguagem de programação: o que é, quais são e como aprender img
tech

Linguagem de programação: o que é, quais são e como aprender

Está pensando em aprender a programar, mas não faz a menor ideia de como começar? Hoje em dia, existem várias linguagens de programação e, justamente por conta disso, fica difícil decidir por qual caminho seguir. Para dar uma mãozinha, trouxemos esse texto que fala sobre alguns conceitos iniciais para que você tenha um norte e saiba, pelo menos, como começar a trilhar sua carreira nessa área promissora! Vamos lá?O que é Linguagem de Programação?Quando você decide aprender um novo idioma, como o inglês, mandarim ou espanhol, seu objetivo é conseguir se comunicar com outras pessoas e entender um pouco de novas culturas, certo? Para começar a programar e aprender a se comunicar com um computador, você precisa da mesma lógica: falar a língua dele.Basicamente, a linguagem de programação é o idioma que você vai utilizar para comunicar ao computador e escrever os códigos. Assim como na comunicação entre humanos, você emite uma mensagem e precisa que seu receptor a entenda e responda. A linguagem é um conjunto de regras que precisam ser seguidas para que os programas funcionem corretamente.Assim como os diferentes idiomas do mundo, existem várias linguagens de programação atualmente, umas mais simples de aprender, outras bem mais complexas. Também é importante ter em mente o seu objetivo para aprender a desenvolver. Afinal, você utiliza linguagens diferentes para programar para a web e programar para mobile, por exemplo.Quais são as principais linguagens de programação?Com tantas linguagens por aí, como saber qual a melhor para você começar sua carreira? Para onde ir, afinal? Bem, antes de mais nada, é preciso ter em mente que, como tudo nos dias de hoje, as tecnologias para desenvolvimento mudam muito rápido e é preciso sempre se atualizar para não ficar para trás.Muitas linguagens já foram vistas como as mais importantes do mercado e hoje estão obsoletas, ou desapareceram completamente. Por outro lado, vemos novas linguagens nascendo e crescendo numa velocidade muito rápida. Vamos trazer aqui algumas das mais aceitas no cenário brasileiro: PHPA sigla que denomina essa linguagem vem, originalmente, de Personal Home Page. É muito utilizada para desenvolvimento web e é conhecida por ser uma linguagem fácil de usar, podendo ser embutida no HTML. Com o PHP, é possível coletar dados de formulários, enviar e receber cookies e criar páginas com conteúdo dinâmico.Essa linguagem oferece muitas possibilidades para desenvolver soluções web, motivo pelo qual se utiliza cada vez mais tanto no Brasil quando no resto do mundo. Inclusive, ela é bastante usada por empresas gigantes do mundo da tecnologia. Sabe o que o Facebook, Wikipedia, Yahoo, Tumblr e Wordpress têm em comum? Todos esses sites foram feitos com PHP!JavaJava é orientada para objetos e é reconhecida por sua simplicidade e legibilidade. Usada para desenvolver desde aplicações desktop a Web, ela está presente em 7 bilhões de dispositivos. Ou seja, é uma das linguagens mais altamente utilizadas do mundo! Um ponto positivo, e que faz com que ela seja tão popular, é a chamada retrocompatibilidade: a capacidade de fazer com que as versões anteriores continuem compatíveis para as novas atualizações, garantindo o funcionamento a longo prazo das aplicações que utilizam essa linguagem.Outro destaque da linguagem Java é que ela é usada por 90% das empresas que estão incluídas no ranking da Fortune 500, uma lista das maiores corporações norte-americanas. Inclusive, dominar essa linguagem é uma das hard skills mais valorizadas pelos empregadores, de acordo com um ranking do Linkedin feito em 2018. Deu para perceber que, para quem está começando, pode ser uma ótima alternativa!JavaScript Antes de mais nada, um alerta: não confundir esta linguagem com a Java! O que acontece é que Javascript trabalha com interface web, só podendo ser utilizada para criar scripts que se executem em navegadores e dependem dos mesmos para funcionar. Em resumo, Javascript roda no client-side, ou seja, através do navegador do usuário, enquanto Java roda no lado do servidor (server side).Pode ser usado tanto para aplicações em mobile, servidor e desktop, e é útil para dar interatividade e para inserir efeitos, deixando o site mais dinâmico. Ele é ótimo para questões de responsividade, já que se adapta a qualquer browser e pode fazer validações da resolução dos dispositivos.SwiftEssa é para desenvolvedores que querem programar para IOS! Foi desenvolvida pela Apple para criar apps para Mac e IOS e é uma alternativa atualizada ao Objective-C. Ela é simples e amigável, o que significa que mesmo que você nunca tenha trabalhado com código antes, poderá fazer aplicativos surpreendentes.Além da fácil compreensão para uso, Swift tem uma ótima performance, sendo mais veloz e dando maior qualidade aos apps. É uma linguagem relativamente nova, mas que certamente veio para ficar, por conta do seu dinamismo e facilidade no aprendizado.KotlinEnquanto Swift conversa com desenvolvimento IOS, Kotlin é a linguagem oficial dos dispositivos Android. Os códigos são muito semelhantes ao Java, logo, se você já desenvolve em Java, verá que o aprendizado será muito mais intuitivo e fácil para desenvolver com Kotlin. Aliás, é possível criar um projeto usando ambas as linguagens, sabia?Kotlin é uma linguagem muito mais concisa e expressiva que Java, ou seja, é possível programar usando menos códigos. Além disso, ela é orientada a objetos, porém, assim como outras linguagens mais modernas, utiliza muitos conceitos funcionais, como expressões lambda.Quero aprender a programar: e agora?Depois de conhecer as principais linguagens, deu vontade de começar a desenvolver e escrever códigos? A Digital House oferece o curso de Desenvolvimento Web Full Stack, onde você consegue criar sites e sistemas web, aprendendo tudo o que for necessário para dominar o Front-end quanto no Back-end.Além disso, também tem a opção dos cursos de Desenvolvimento Mobile Android e o de Desenvolvimento Mobile iOS. Ah! E se você não tem experiência prévia, não se preocupe: nossos professores ensinam você do zero!Que tal o pontapé inicial na sua nova carreira? Vem conhecer mais sobre a Digital House Brasil!

Desenvolvedor front end: o que preciso saber pra ser um? img
tech

Desenvolvedor front end: o que preciso saber pra ser um?

Você decidiu que pode ser uma boa atuar como desenvolvedor front end, mas não sabe exatamente como começar? Ou já começou a programar, mas quer mergulhar ainda mais a fundo nessa área? Ok, esse universo pode parecer bastante confuso à primeira vista, pois existem vários caminhos a serem trilhados nessa carreira.Um ótimo conselho é pesquisar todas as possibilidades para decidir qual direção tomar. Neste texto, vamos falar um pouquinho com quem tem interesse em desenvolvimento de interfaces que conversam diretamente com os usuários, ou seja, o famoso front end!Quer entender como funciona, quais os primeiros passos e se o mercado está favorável? Chamamos a professora do curso de Desenvolvimento Web Full Stack, Hendy Almeida, para esclarecer todas as dúvidas!O que é o front end e back endQue tal começar diferenciando dois dos conceitos mais conhecidos do desenvolvimento web? Se, dentro de uma aplicação, você souber separar o front end do back end, já será um ótimo começo!Hendy explica que, quando falamos no back end, nos referimos à parte que está por trás das interfaces, se comunicando com os servidores, guardando informações no banco de dados e definindo as regras de negócio.Já o front end é a parte responsável pela interação com o usuário. Isso significa que estamos falando de todo o conteúdo que fica visível, como por exemplo: o layout da página, os efeitos visuais e até mesmo a validação de formulários. O desenvolvedor front end precisa ter um olhar voltado para experiência do usuário para que o trabalho aconteça da melhor maneira possível.Deu para entender que, apesar de diferentes, os desenvolvedores das duas áreas acabam se complementando, certo?O que faz um desenvolvedor front-endFocando especificamente na turma dos front-end developers, Hendy mostra que, nessa área, é possível criar páginas web utilizando HTML, CSS e Javascript, normalmente com base em um layout pré-definido por um designer ou pela equipe de design. Isso significa que trabalhar em equipe é fundamental para pensar na melhor experiência possível para o usuário.Esse trabalho requer muita atenção aos detalhes, pois é importante garantir que o design da página esteja de acordo com o que foi pré-definido, ou que a usabilidade esteja fluida. O usuário final está em primeiro lugar, e a experiência dele vai ser sempre considerada para fazer as devidas otimizações, quando necessário.Por que o front end é tão importante?Bem, depois de tanta explicação, fica até fácil entender a importância do front end, né? Só de saber que o principal objetivo desse profissional é oferecer uma boa experiência para o usuário, já se percebe quem é que descomplica e cuida da aparência do desenvolvimento web.Hendy alerta: “Você pode ter um sistema super funcional no back end, mas se ele não for atraente e de fácil acesso, não adianta nada”. É no front que consegue-se facilitar a usabilidade de um sistema web e mudar a experiência do usuário.Mercado de trabalho em altaBoas notícias para os entusiastas e futuros desenvolvedores: o mercado para front end só tem crescido e está em alta! Para Hendy, hoje em dia, há muitas possibilidades de vagas na área, para atuar desde os níveis de conhecimento mais básicos, como HTML, CSS e Javascript, até o modo avançado, como ReactJS, Angular e Service Worker. Segundo o site Glassdoor, o salário médio para um desenvolvedor front é de R$ 3.995 por mês, podendo variar até chegar a mais de R$ 13.000. Nada mal, hein!Vem ser front end você também!Gostou da ideia de entrar nessa profissão desafiadora? Hendy conta o que é preciso aprender no começo da carreira “De início é preciso estudar as bases: HTML para estruturar o conteúdo, CSS que é nossa folha de estilo, e Javascript que permite adicionar lógica e interagir com eventos do usuário como click ou scroll na página. Depois disso, nós podemos ir para parte mais divertida, como Bootstrap e jQuey, ou seja, as bibliotecas/frameworks que facilitam nosso trabalho”.Com esse tanto de palavra e expressões, fica mais uma dica: o inglês é um diferencial que te ajudará muito no dia a dia! Até mesmo para buscar referências e leituras que, grande parte das vezes, não estão disponíveis em português.E também é importante lembrar que, mesmo que você escolha se especializar no front end, será preciso ter noções de como o todo se comunica com o back end, ou como funciona o banco de dados, por exemplo. A profissão é apaixonante e divertida! Com certeza, você vai adorar!

Ver todos