MENU

| BR

Campus

Programação

Marketing

UX

Dados

Negócios

Paises


Crie apps do zero

Aprenda na prática linguagens de programação como Java, SQL e Kotlin

Portfólio

Saia do curso com seu aplicativo pronto como portfólio

Mentoria de carreira

Alunos podem fazer o Curso de Gestão de Carreira (gratuito) e participam de feiras de recrutamento exclusivos (Recruiting Day)


Imagen de Desenvolvimento Mobile Android

Por que Desenvolvimento Mobile Android?

Você vai aprender:
  1. 01. Introdução ao Mobile
  2. 02. Programação Orientada a Objetos
  3. 03. Java
  4. 04. Design Patterns
  5. 05. Android
  6. 06. SQL & SQLite
E também:
  1. 01. Material Design
  2. 02. RXJava
  3. 03. Consumo de API´s
  4. 04. Google Maps
  5. 05. Redes Sociais
  6. 06. Introdução ao Kotlin
Habilidades para o mercado de trabalho:
  1. 01. Metodologias Ágeis / SCRUM
  2. 02. Trabalho em equipe
  3. 03. Construção de portfólio
  4. 04. Desenvolvimento de carreira
  5. 05. Network
  6. 06. Github

E na minha carreira?

Qual o futuro?

Há muito espaço para quem quer trabalhar em startups ou grandes empresas de tecnologia porque 85% dos celulares no mundo são Android. Então investe-se bastante em desenvolvimento de apps Android

Salário

O salário inicial para desenvolvedores mobile android é de R$ 3,796, em média. A demanda por esses profissionais cresceu 85% de 2018 para 2019 (fonte: Revelo, julho/2019)

Aprenda com professores especialistas do mercado

Nosso time de especialistas

Ver Professores

Quem já fez

Eventos

27 Ago

Qual curso escolher? | Papo Digital

Inscreva-se
Ver Todos Os Eventos

Próximos cursos, horários e sedes

Turno: Noite

19:00 às 22:30

Vila Olímpia
Dias da semana
segunda, quarta, sexta
Início
4 Nov
Fim
8 Mai
Investimento
R$ 10.000

Por que estudar na Digital House?

Nossa missão é formar a próxima geração de profissionais digitais. Temos um campus de quatro andares na Vila Olímpia (Avenida Doutor Cardoso de Melo, 90 - São Paulo) com salas equipadas com um computador por aluno. Nossa metodologia própria de ensino intensivo é focada na prática, com um currículo feito sob medida para o que o mercado exige. Participe também de eventos para networking e recrutamento. Adquira habilidades digitais! Venha para a Digital House!

Blog
Digital House

Desenvolvedor front end: o que preciso saber pra ser um? img
tech

Desenvolvedor front end: o que preciso saber pra ser um?

Você decidiu que pode ser uma boa atuar como desenvolvedor front end, mas não sabe exatamente como começar? Ou já começou a programar, mas quer mergulhar ainda mais a fundo nessa área? Ok, esse universo pode parecer bastante confuso à primeira vista, pois existem vários caminhos a serem trilhados nessa carreira.Um ótimo conselho é pesquisar todas as possibilidades para decidir qual direção tomar. Neste texto, vamos falar um pouquinho com quem tem interesse em desenvolvimento de interfaces que conversam diretamente com os usuários, ou seja, o famoso front end!Quer entender como funciona, quais os primeiros passos e se o mercado está favorável? Chamamos a professora do curso de Desenvolvimento Web Full Stack, Hendy Almeida, para esclarecer todas as dúvidas!O que é o front end e back endQue tal começar diferenciando dois dos conceitos mais conhecidos do desenvolvimento web? Se, dentro de uma aplicação, você souber separar o front end do back end, já será um ótimo começo!Hendy explica que, quando falamos no back end, nos referimos à parte que está por trás das interfaces, se comunicando com os servidores, guardando informações no banco de dados e definindo as regras de negócio.Já o front end é a parte responsável pela interação com o usuário. Isso significa que estamos falando de todo o conteúdo que fica visível, como por exemplo: o layout da página, os efeitos visuais e até mesmo a validação de formulários. O desenvolvedor front end precisa ter um olhar voltado para experiência do usuário para que o trabalho aconteça da melhor maneira possível.Deu para entender que, apesar de diferentes, os desenvolvedores das duas áreas acabam se complementando, certo?O que faz um desenvolvedor front-endFocando especificamente na turma dos front-end developers, Hendy mostra que, nessa área, é possível criar páginas web utilizando HTML, CSS e Javascript, normalmente com base em um layout pré-definido por um designer ou pela equipe de design. Isso significa que trabalhar em equipe é fundamental para pensar na melhor experiência possível para o usuário.Esse trabalho requer muita atenção aos detalhes, pois é importante garantir que o design da página esteja de acordo com o que foi pré-definido, ou que a usabilidade esteja fluida. O usuário final está em primeiro lugar, e a experiência dele vai ser sempre considerada para fazer as devidas otimizações, quando necessário.Por que o front end é tão importante?Bem, depois de tanta explicação, fica até fácil entender a importância do front end, né? Só de saber que o principal objetivo desse profissional é oferecer uma boa experiência para o usuário, já se percebe quem é que descomplica e cuida da aparência do desenvolvimento web.Hendy alerta: “Você pode ter um sistema super funcional no back end, mas se ele não for atraente e de fácil acesso, não adianta nada”. É no front que consegue-se facilitar a usabilidade de um sistema web e mudar a experiência do usuário.Mercado de trabalho em altaBoas notícias para os entusiastas e futuros desenvolvedores: o mercado para front end só tem crescido e está em alta! Para Hendy, hoje em dia, há muitas possibilidades de vagas na área, para atuar desde os níveis de conhecimento mais básicos, como HTML, CSS e Javascript, até o modo avançado, como ReactJS, Angular e Service Worker. Segundo o site Glassdoor, o salário médio para um desenvolvedor front é de R$ 3.995 por mês, podendo variar até chegar a mais de R$ 13.000. Nada mal, hein!Vem ser front end você também!Gostou da ideia de entrar nessa profissão desafiadora? Hendy conta o que é preciso aprender no começo da carreira “De início é preciso estudar as bases: HTML para estruturar o conteúdo, CSS que é nossa folha de estilo, e Javascript que permite adicionar lógica e interagir com eventos do usuário como click ou scroll na página. Depois disso, nós podemos ir para parte mais divertida, como Bootstrap e jQuey, ou seja, as bibliotecas/frameworks que facilitam nosso trabalho”.Com esse tanto de palavra e expressões, fica mais uma dica: o inglês é um diferencial que te ajudará muito no dia a dia! Até mesmo para buscar referências e leituras que, grande parte das vezes, não estão disponíveis em português.E também é importante lembrar que, mesmo que você escolha se especializar no front end, será preciso ter noções de como o todo se comunica com o back end, ou como funciona o banco de dados, por exemplo. A profissão é apaixonante e divertida! Com certeza, você vai adorar!

O que preciso saber para desenvolver um aplicativo img
tech

O que preciso saber para desenvolver um aplicativo

Você consegue passar um dia de sua vida hoje sem abrir um aplicativo sequer no seu celular? Viramos quase reféns de apps, eles nos ajudam a organizar nossos compromissos, nos ajudam a manter foco na dieta ou na academia, nos conectam com amigos e até nos lembram de beber água.Além disso, o mercado de aplicativos ainda tem muito espaço para crescer e agregar novas ideias. Muito mudou e continua mudando desde que surgiu o primeiro smartphone. Hoje, 92% dos brasileiros possuem ou usam um smartphone com frequência.Mas existem algumas coisas que você precisa saber antes de desenvolver um aplicativo e mergulhar de cabeça nesse competitivo mercado.Uma boa ideiaPara desenvolver um aplicativo, você primeiro precisa de uma boa ideia, mas não pode ser só boa, também precisa ser atrativa e rentável. Além de ser uma boa ideia, por que as pessoas fariam o download ou comprariam seu aplicativo?Antes de começar o desenvolvimento, é preciso saber se há uma demanda sustentável de curto, médio e longo prazo para sua ideia. Converse com pessoas ao seu redor e faça pesquisas com seu possível público-alvo antes de investir tempo e dinheiro em algo que pode acabar morrendo na praia. Aproveite para ler: programação, para onde ir, afinal?Faça você mesmoA melhor maneira de desenvolver um aplicativo é fazendo você mesmo ou contratando uma equipe de desenvolvedores competentes e com experiência para trabalhar isso. Quando você "faz em casa", fica mais fácil encontrar erros no desenvolvimento e corrigi-los rapidamente, principalmente nas fases de teste antes do lançamento.Se você optar por colocar as próprias mãos na massa, vai precisar aprender a programar usando a linguagem de programação do sistema operacional que o aplicativo for rodar: iOS ou Android. Saber sobre lógica de programação e banco de dados também é importante.Para ganhar dinheiroDe nada adianta desenvolver um aplicativo incrível, com um excelente conceito e usabilidade dos sonhos se ninguém souber a respeito. Por isso é preciso investir em uma estratégia de marketing sólida que consiga responder à uma simples pergunta: por que as pessoas precisam do seu app?Em paralelo, você precisa definir qual será sua estratégia de monetização. A não ser que seu app seja só algo divertido que você fez sem esperar nada em troca, acreditamos que você gostaria de ser recompensado pelo seu trabalho.De acordo com a sua ideia, defina qual o melhor plano de monetização: um app pago, anúncios ou itens que você comprar dentro do aplicativo? Sua estratégia envolve gamificação ou você venderá planos para assinantes ganharem vantagens em relação aos usuários gratuitos?Teste, refaça e corrijaAntes de lançar o aplicativo, faça muitos testes. Lance uma versão beta para um público pequeno, faça pesquisas de usabilidade, peça feedbacks e insights. Você nunca conseguirá lançar um produto 100% livre de bugs ou problemas, mas você pode se esforçar para chegar o mais próximo disso.Assim, quando o aplicativo de fato for lançado, você já terá antecipado inúmeros problemas e estará trabalhando neles para a próxima atualização.O trabalho não termina aquiFalando em atualização, está muito enganado quem pensa que o trabalho termina depois que a última linha de código é escrita. Depois do lançamento do aplicativo, é preciso ficar atento aos comentários dos usuários para propor melhorias e fazer atualizações.Com as constantes atualizações nos sistemas operacionais dos celulares, que vêm com cada novo modelo lançado, é preciso manter seu aplicativo compatível e operante.

Digital House oferece 100 bolsas de estudo para mulheres em cursos de programação img
carreira
tech

Digital House oferece 100 bolsas de estudo para mulheres em cursos de programação

Você sabia que, de acordo com dados da ONU, somente 17% das pessoas trabalhando com programação no Brasil hoje são mulheres? Para aquelas que tentam ingressar em áreas de tecnologia, o sentimento geral é de que esses campos de atuação ainda são dominados por homens. Para agravar um cenário marcado por desigualdade, descrédito e assédios, mulheres chegam a ganhar somente 70% do salário de um homem que cumpre a mesma função na área de TI ou programação. Desde o ano passado a Digital House procura promover iniciativas que diminuam o gap da desigualdade, com parcerias e workshops. Como resultado, 20% dos alunos do curso de programação foram mulheres, mais do que a média nacional e da Faculdade de Sistemas da USP, com só 15% de alunas do sexo feminino. Este ano, queremos ir além para trazer mais diversidade e igualdade para o mercado. É por isso que a Digital House Brasil, com apoio do TechTudo, está oferecendo 100 bolsas de estudo de 80% exclusivamente para mulheres no programa "Mais Mulheres em Programação". As bolsas de estudo são para os cursos de Desenvolvimento Web Full Stack, Desenvolvimento Mobile Android ou Desenvolvimento Mobile iOS. Segundo a coordenadora dos cursos de programação, Ana Paula da Silva Pereira, a ideia é incentivar mais mulheres a entrarem no mundo da programação para mudar o cenário desse setor, que é predominantemente masculino. “Sabemos que, historicamente, o mercado de tecnologia é dominado por homens e isso dificulta a entrada de mulheres na área. Com o programa "Mais Mulheres em Programação", acreditamos que teremos novas alunas em nosso campus, que desejam estudar e trabalhar para fazer a diferença nesse mercado“, reforça a coordenadora. As inscrições começam hoje, dia 24 de junho de 2019. Para participar do processo seletivo, inscreva-se clicando aqui. Após preencher o formulário de inscrição, apenas as 100 primeiras candidatas aprovadas nas fases de Nivelamento, Desafio Online e Entrevista de Admissão irão garantir a bolsa de 80%. As inscrições deverão ser feitas até o dia 22 de Julho de 2019. Aproveite para conferir 5 dicas valiosas para quem está começando a programar.