16 de Abril de 2019
Digital House

Aniversário da Digital House Brasil é celebrado com histórias de sucesso

Em 16 de Abril de 2018, a Digital House chegou ao Brasil com o objetivo de formar profissionais com habilidades digitais. O modelo da startup de educação já funcionava na Argentina há 3 anos, com cerca de três mil alunos formados e 92% recolocados no mercado de trabalho.

Em São Paulo, o sucesso do primeiro ano da escola também está refletido na experiência dos alunos. No fim de 2018, foram mais de 700 alunos estavam formados nos 11 cursos que a Digital House oferecia até então. Em 2019, já são mais de 900 alunos matriculados.

A aluna Luara, que finalizou o curso de Programação Mobile Android, estava sem trabalhar quando conheceu o curso e hoje recomenda para muitos colegas e amigos. “A mentoria de carreiras me ajudou muito e, depois do curso, recrutadores estavam me procurando pelo LinkedIn”, conta a ex-aluna. Atualmente, ela trabalha na equipe de desenvolvimento de um app que oferece soluções de logística.

Essas histórias são para Edney Souza, diretor acadêmico da Digital House Brasil, exemplos de que o modelo aplicado no hub de educação e tecnologia funciona – e muito bem. Ele conta que outro sinal de qualidade são as empresas que contrataram alunos da escola e, hoje, estão fazendo parcerias para oferecer bolsas de estudos a novos estudantes.

“Nossas apostas valeram, os alunos estão satisfeitos e as empresas estão satisfeitas”, conta Edney. Para uma escola que se propõe a diminuir o gap de quase 400 mil vagas para profissionais digitais na América Latina, o caminho trilhado até então parece estar dando certo.

Os obstáculos desta empreitada, no entanto, não foram poucos, adaptar um negócio que já está consolidado a um novo país, com cultura e leis diferentes, não é fácil. Como conta o diretor acadêmico da Digital House Brasil, Edney Souza, “quando você cria algo novo, não sabe quais problemas podem surgir, por isso mantivemos nosso foco. Quando algo aparecia, perguntávamos: ‘isso vai ajudar em nosso objetivo?’ Então seguíamos em frente”.

O diretor também conta que todos os programas passaram por alguma mudança e ajuste: “nossa premissa é lançar nossos programas sempre ligados a uma profissão, algo que permita que o aluno entre no mercado de trabalho. E nossos professores são todos do mercado, então eles nos apontam o que faz sentido no programa ou não para a vida prática”.

Esse, inclusive, é um dos grandes diferenciais que garante bons resultados para quem estuda na Digital House Brasil. O currículo alia teoria com atividades práticas em sala de aula. O objetivo é que depois do curso, os alunos não só estejam preparados para o mercado de trabalho, mas também para crescer em sua área.

“Em 2018 tínhamos essa promessa que nós vimos se concretizar: a recolocação profissional dos nossos alunos. Em 2019, vamos ver esses alunos evoluírem e serem promovidos, o que prova a capacidade de que o aluno pode continuar aprendendo sozinho depois do curso”, conta Edney Souza.

Confira 21 coisas que você aprende na primeira aula de Marketing Digital na Digital House Brasil.

Para o próximo ano, a Digital House Brasil já tem novas metas e desafios, entre eles novas sedes pelo Brasil. O diretor ressalta, no entanto, que a principal premissa da escola é a qualidade. “Queremos crescer, mas não sem qualidade. Nossa principal meta é que cada pessoa saia daqui com a vida transformada”.

Comentários