07 de Março de 2018
Mercado de Trabalho

Dicas para criar aplicativos móveis para mercados emergentes


Se você pretende criar apps para Android ou iOS destinados a usuários que vivem na América do Sul, Ásia ou África, leve em consideração os seguintes conselhos.

O uso da internet cresce a cada dia nas economias emergentes como América do Sul, África e Ásia. O que acontece nos países localizados nessas regiões é que o acesso a smartphones não para de aumentar em ritmo acelerado, ao mesmo tempo que os pacotes de internet estão ficando mais baratos, o que resulta na chegada de milhões usuários ao mercado digital.

Apesar desse crescimento expressivo, seria imprudente partir do princípio que a população desses locais se beneficia da revolução tecnológica tanto como a de países desenvolvidos. É por isso que quando criamos aplicativos para Android ou iOS pensando nesses países, é importante considerar os seguintes fatores:

Sistema operacional: 87,7% dos smartphones utilizados no mundo inteiro operam com o sistema Android. Além disso, a maioria dos modelos que têm esse sistema operacional são mais econômicos do que os iPhones, que usam o iOS. Portanto, se seu objetivo é chegar aos usuários de mercados emergentes, o ideal é optar por criar aplicativos móveis para Android.

Visar smartphones de gama baixa: Na hora de testar seu app, leve em consideração que ele deve funcionar bem em celulares que custam entre 150 e 200 dólares. São modelos que não têm telas tão grandes quanto os de gama alta e oferecem baixa resolução. Lembre-se que não é porque um produto digital funciona perfeitamente em um smartphone de última geração que ele irá funcionar da mesma maneira nos celulares que proliferam nos países emergentes.

Modo de baixa potência: Em muitas partes do mundo não se pode confiar em um fornecimento constante de eletricidade. Isso faz com que as pessoas se comportem de forma diferente em relação ao carregamento de seus telefones. Por isso é crucial que seu aplicativo não consuma muita bateria, assim você evita que os usuários o deletem logo após testá-lo.

Tipo de conexão: Ainda que as grandes cidades geralmente contem com redes 4G, é provável que nas regiões do interior dos países emergentes as redes sejam antigas e pouco potentes. De fato há dados que apontam que mais de 10% dos usuários irão continuar limitados às redes 2G até 2020. Portanto, os aplicativos devem proporcionar o máximo possível de funcionalidade offline. Uma das formas de oferecer uma experiência melhor aos usuários dando-lhes acesso a algumas funções e conteúdo offline é através do uso inteligente do armazenamento em cache.

Minimizar o uso de dados: Quando conectado, o aplicativo deve usar a menor quantidade possível de dados já que os planos com muitos GB continuam sendo inacessíveis para muitos usuários de mercados emergentes. Por essa razão, nessas regiões os apps que consomem poucos dados tendem a ser muito mais populares.