28 de Junho de 2018
Digital House

Metodologias Ágeis: a Agilidade mudando a forma de gestão de projetos e empresas

Toda empresa que trabalhe com algum tipo de desenvolvimento de tecnologia sabe que o cerne do seu negócio está na capacidade de conseguir responder às mudanças do mercado em tempo real.

O que antes era uma característica típica das startups, empresas que precisam muito rapidamente colocar seu modelo de negócio em prática para testar acertos e erros e alterar seus produtos e serviços a partir deles, hoje essa capacidade pode definir a sobrevivência de qualquer organização.

Quem aqui se lembra quando, para ter acesso a internet, era comum adquirir um CD-ROM da AOL com o programa da provedora? O programa vinha prontinho para você, mas era necessário chegar em casa e passar pelas longas – e difíceis – horas de instalação no seu computador pessoal. A AOL chegou ao Brasil em 1999 e iniciou uma campanha maciça de envio de CD-ROMs para milhares de casas com o objetivo de ser a maior empresa de internet do país. No entanto, o programa contido no CD apresentava uma série de problemas técnicos de instalação, manchando a imagem da empresa de uma forma tão séria que ela precisou fechar as portas por aqui menos de 10 anos após sua chegada.

Na virada do milênio, a era da internet e do mundo digital já começava a forçar uma mudança de cultura nas empresas. E a Agilidade se tornou o conceito chave nesse processo.

Mas, afinal, o que significa Agilidade?

 

Em meados do ano 2000, um grupo de desenvolvedores de software se reuniu para escrever o Manifesto Ágil (que você encontra integralmente aqui, em quase todas as línguas). Esse manifesto apresentava uma mudança de cultura no mundo do desenvolvimento e que, até hoje, guia o mind set de todos os envolvidos com tecnologia.

“A Agilidade veio se opor ao pensamento tradicional que existia até então na área de desenvovimento de softwares, onde o foco era a arquitetura. O Manifesto colocou o consumidor em primeiro lugar, elevando a experiência e a usabilidade no topo da ordem das prioridades”, completa Raphael Queiroz, especialista em Metodologias Ágeis.

A Era da Agilidade

 

Imagine você que, antigmente, um desenvolvedor precisava entregar um software de computador inteiramente pronto, completo, do começo ao fim, antes de ser lançado ao mercado, assim como o antigo modelo de negócios da AOL. Hoje, as empresas de tecnologia sabem que, para testar seus modelos, é necessário o rápido lançamento de um MVP (Produto Mínimo Viável) para já começar a testar o produto diretamente com seus consumidores. De acordo com o feedback dos usuários, o time vai, então, subindo atualizações de seus aplicativos e programas em tempo real, bastando para isso um acesso a internet.

O surgimento das Metodologias Ágeis

 

As metodologias ágeis, ou os métodos ágeis, surgiram como formas de aplicar a Agilidade no gerenciamento de projetos dentro das empresas. Embora sua origem seja no desenvolvimento de softwares, hoje absolutamente qualquer área de uma empresa pode ser gerenciada por um, ou um conjunto, desses métodos. Quem aqui nunca ouviu falar sobre Scrum, XP ou Kanban?

O que todos esses métodos têm em comum é o fato de que eles consolidam uma série de práticas que tornam as equipes mais colaborativas e eficientes, permitindo a autonomia e auto-organização de seus membros. O objetivo é a entrega rápida de alta qualidade e com grande valor agregado para o cliente, foco de todos os projetos.

Algumas empresas já nasceram dentro do mundo ágil. Podemos citar o Nubank, o Banco Original e o PagSeguro como exemplos dentro do setor bancário. A velocidade com que lançam produtos, assimilam melhorias e crescem, não é comparável com nenhum banco tradicional que atua no país.

Mas muito se engana quem pensa que, para ser ágil, é necessário nascer ágil!

 

Muitas empresas fundadas nos modelos tradicionais de desenvolvimento e gestão estão implementando esses métodos dentro de suas organizações por meio de Agile Coachs, especialistas e consultores em Agilidade capazes de trazer inovações do mercado, ensinam essas metodologias para equipes e gestores e acompanhando seu desenvolvimento. O trabalho desses profissionais é ensinar como uma empresa pode realizar mudanças rapidamente, e de forma colaborativa, a partir de dinâmicas de aculturamento e treinamentos especiais.

Raphael Queiroz trabalhou como Agile Coach em diversas empresas, como Catho, Serasa Experian, Santander e PagSeguro, e conta para nós como as Metodologias Ágeis foram implementadas nessas empresas. “O primeiro passo é o treinamento de toda a gestão para o conceito da Agilidade, para que a equipe de decisores aprenda a entregar produtos e soluções de forma rápida, identificando quais mudanças são necessárias para isso”, explica. “Em seguida, são organizadas dinâmicas com o apoio de diversos métodos ágeis onde os gestores precisam entregar, junto com as suas equipes, uma parte desse produto ou solução por dia, fazendo aparecer os problemas rapidamente e sendo orientados a como resolvê-los”.

A dinâmica é sempre a mesma, não importa o departamento ou área de atuação da empresa: identificação de um problema, brainstorm criativo e colaborativo de uma solução, entrega rápida e constante de partes de projeto, teste, validação e implementação. É por isso que as metodologias ágeis estão no auge de sua popularidade, elas podem ser aplicadas em empresas grandes e startups, em empresas de tecnologia e de serviços de alimentação, nos departamentos de desenvolvimento e até no de recursos humanos.

“O Agile Coach é muito importante nesse processo de mudança pois é capaz de ensinar as empresas a serem mais ágeis, de forma colaborativa, gerando resultados mais eficazes. A Agilidade é um modelo de fácil adaptação!”, finaliza.

Se interessou pelo assunto? Não deixe de conhecer as comunidades digitais de apaixonados pela Agilidade: Agilidade.org e Happy Melly.

Comentários