04 de Maio de 2018
Desenvolvimento Web Full Stack

Programação é o novo inglês: não fique para trás

Em um mundo cada vez mais conectado e digital, entender de programação pode abrir portas para profissionais de qualquer área. Saiba o que você aprende no curso de Desenvolvimento Web Full Stack.

Nos anos 1980, aprender inglês era como um passaporte para o sucesso profissional de qualquer estudante. Quem conhecia a língua, certamente teria mais oportunidades de crescimento e aprendizado não apenas na carreira, mas também na vida pessoal.

Hoje, quatro décadas depois, podemos dizer que programação é o novo inglês (lembrando que, claro, o inglês continua imprescindível). Em um mundo que caminha para a inteligência artificial, para a internet das coisas e tantas outras disrupções, entender disso será um imenso diferencial. Sem contar as infinitas possibilidades que se abrem a cada dia para quem é profissional da área.

Criado para iniciar pessoas nesse universo, o curso de Desenvolvimento Web Full Stack da Digital House não requer nenhuma experiência prévia. Não precisa ser gênio de Exatas, não precisa saber programar. Segundo o programador Matheus Costa, um dos responsáveis pedagógicos, os únicos pré-requisito são a vontade de aprender e a curiosidade. A seguir, um bate-papo com ele!

Como se inicia uma carreira em programação?

Quando comecei, no interior de Minas Gerais, aos 15 anos, ninguém falava em ser programador profissional. A gente aprendia a programar por hobbie, por curiosidade. Hoje, é uma área gigante. Sendo programador você pode fazer um site, um aplicativo e até o sistema de um banco. Tudo começa pela curiosidade de entender como algo funciona. Geralmente o interesse começa em descobrir como algo de sucesso foi feito – o Facebook, por exemplo. Costuma ser o motor de descoberta da área.

Qual é a primeira coisa que um futuro desenvolvedor aprende no curso?

Antes de qualquer coisa, falamos sobre lógica de programação. A lógica segue uma linguagem. Como um idioma: há vários no mundo, e muitos têm similaridade graças às raízes comuns. Português e espanhol apresentam palavras parecidas, porque ambos vêm do latim. Na programação ocorre o mesmo. Algumas “palavras” são similares, com mudanças na forma de escrever.

E como a linguagem compõe a lógica de programação?

A lógica é um conjunto de coisas que toda programação vai ter. Por exemplo: variáveis e condicionais. Cada linguagem tem uma forma de expressar isso. No final das contas, programar é como escrever uma receita de bolo.

Por que programação é uma carreira promissora?

Programação é o novo inglês. Quando eu era criança, todo mundo dizia que eu tinha de saber inglês para crescer na carreira. Hoje, quem souber programação vai ter mais oportunidades e condições melhores no mercado de trabalho.

As oportunidades virão mesmo para quem não trabalha diretamente com isso?

Sim, em qualquer área. Cedo ou tarde você vai se deparar com um problema que, se tiver conhecimento em programação, será muito útil. Por exemplo: a inteligência artificial está crescendo dia a dia. Em cinco ou dez anos, a forma como vivemos vai mudar, com carros que andam sozinhos, robôs que aprendem e resolvem problemas. A partir do momento em que você souber como o robô “pensa”, poderá tomar melhores decisões ou até mesmo criar seu próprio robô.

Robôs vão tirar empregos?

Sim. Alguns empregos serão substituídos pela inteligência artificial. Ao mesmo tempo, vai crescer a demanda por profissionais que saibam de programação. Alguém vai precisar operar esses robôs. Programação não é um fim, mas um meio. É uma ferramenta para solucionar problemas. Ter esse conhecimento muda a forma como entendemos o mundo.

Para o curso de Desenvolvimento Web Full Stack preciso ter experiência ou conhecimento na área?

Para todos os cursos da Digital House temos apenas dois requisitos: vontade de aprender e ser uma pessoa curiosa. Não precisa ser bom em matemática nem saber inglês avançado. Não precisa ser um gênio. Queremos pessoas apaixonadas por aprender. Garantimos que você entra sem saber nada e após 5 meses estará habilitado a trabalhar como programador júnior.

O Desenvolvimento Web Full Stack costuma ser comparado a um canivete suíço: serve para uma infinidade de coisas. É isso mesmo?

Sim. Na web, temos front end, que é toda a parte visual, e o back end, que tem pelo menos 25 linguagens possíveis de programação. Hoje em dia, muita gente forma ou um ou outro profissional. Porém, para as empresas, é mais interessante um profissional completo. Cerca de 40% do mercado preferem um profissional full stack. No curso, além do código ensinamos metodologia de trabalho e ferramentas. A ideia é simular o máximo possível um trabalho naquela área. Sem contar que no curso você vai conhecer pessoas desse universo e mentores que já estão no mercado.

Quais são as habilidades humanas esperadas de um desenvolvedor?

Quando comecei, a imagem que as pessoas tinham de programadores era a do nerd que ficava no cantinho sem falar com ninguém. Ainda rola um pouco isso. Hoje, o programador é um rock star. É um cara descolado, cool. Saber se comunicar e expressar as ideias é muito importante, assim como saber trabalhar em equipe. Ninguém é gênio sozinho. O cara que vai bem na área geralmente é um curioso e persistente. Nada a ver com o mestre da lógica ou o gênio das exatas.

Se interessou pelo assunto? Veja tudo o que você precisa saber antes de começar a programar no nosso Guia de Desenvolvimento Web.